5 fatos que você não sabia sobre compras com cartão de crédito online

--*--

Os cartões de crédito são a principal forma de pagamento para compras online, atingindo mais de 70% das vendas no Brasil. Uma das principais vantagens é que os cartões são práticos: você obtém uma aprovação imediata, sem precisar ir aos bancos, e também pode pagar parcelado.

Os cartões de crédito funcionam de maneira diferente em cada país, e no Brasil não é diferente. Abordaremos a maneira brasileira de fazer negócios online em outro post, mas aqui eu gostaria de destacar alguns segredos que nem mesmo a maioria dos brasileiros conhece: 

1. Seu nome não conta 

Você percebeu que os sites solicitam o nome do titular do cartão? Bem, essa informação é inútil. O nome não foi verificado. Apenas alguns comerciantes verificam se o destinatário do pacote é o titular do cartão. No Brasil (e em outros países também), não há validação automática do nome do titular do cartão. É claro que não recomendo que você faça isso, porque se o comerciante verificar isso, seu pedido será retido para revisão ou mesmo cancelado. 

2. Seu número de identificação fiscal também não conta 

Solicitar a identificação fiscal de uma pessoa (ou CPF, como chamamos) é muito comum aqui, no Brasil. Os comerciantes usam para gerar faturas e executar verificações de fraude de crédito. O que a maioria das pessoas não sabe é que, assim como o nome, o CPF não é verificado.

Não há como saber se um cartão pertence a um determinado CPF. Como alguém pôde validar isso? Apenas os bancos emissores sabem quais cartões pertencem a quem, mas por muitas razões, custo, complexidade, segurança, essas informações não podem ser consultadas. 

3. Seu endereço de cobrança conta um pouco

Finalmente, algo que está marcado! Ou talvez não exatamente. O AVS (Sistema de verificação de endereço) é amplamente utilizado em outros países para verificar se um endereço pertence a esse cartão de crédito, verificando-o no banco emissor. Mas no Brasil as coisas não são tão fáceis. O principal problema é como os nomes das ruas são abreviados. Por exemplo, você diz que mora na Avenida Nossa Senhora de Copacabana, mas no registro do banco está listado como Avenida N. S. de Copacabana.

O sistema não poderá dizer que é o mesmo endereço. Quando você adiciona outras variáveis ​​(número do apartamento, nome do prédio), fica ainda mais complicado. Portanto, embora o AVS exista no Brasil, é apenas parcialmente preciso, se você verificar o CEP. 

4. Todos os cartões de crédito possuem inteligência artificial 

No Brasil, todos os carros de crédito e débito possuem Chip e PIN, e é assim há vários anos. Os cartões EMV são mais seguros porque exigem que um PIN seja inserido no POS para autorizar uma transação, e é mais difícil roubar os PINs. Isso significa que, há anos, as lojas físicas têm o benefício da mudança de responsabilidade; portanto, se alguém entra na loja com um cartão roubado e é aprovado, os bancos são responsáveis.

Os comerciantes confiam tanto em chip e PIN que quase ninguém é solicitado a fornecer um ID ao fazer um pagamento com cartão. O comércio eletrônico é outra questão, pois o 3D Secure está apenas começando. 

5. O cartão de crédito ainda é a maneira mais segura de comprar online 

Sim, seu cartão pode ser roubado, copiado e usado por fraude. Mas não é sua culpa que o site seja falso ou que o comerciante não foi capaz de se proteger dos invasores. Você está protegido contra cobranças não autorizadas.

Se o seu cartão foi usado para fraude, basta ligar para o banco e solicitar um reembolso. Outros métodos de pagamento funcionam de maneira diferente. Se você pagar um boleto falso, não poderá ir ao banco e pedir seu dinheiro de volta. Você teria que lutar no tribunal, o que leva consideravelmente mais do que uma ligação para o banco.