Veja do que você precisa para financiar uma moto zero com as menores parcelas

--*--

Viver numa grande cidade e pensar no trânsito, que normalmente é muito lento é dor de cabeça. Ter um meio de transporte que seja conveniente e ao mesmo tempo sinônimo de liberdade é sonho de muitos brasileiros. E se esse transporte não for muito caro o sonho pode se transformar em realidade ainda mais rápida.

O financiamento de motos muitas vezes é a porta de entrada para essa realização, pode ser a solução perfeita afinal, é um meio de transporte rápido e razoavelmente barato ao  comparar com um carro por exemplo.

O financiamento de motos

O financiamento de motos não é tão diferente dos financiamentos de uma maneira geral, mas ele também funciona com Crédito Direto ao Consumidor(o já conhecido CDC). Tendo o seu perfil aprovado por alguma instituição financeira, a moto poderá ser comprada já em seu nome e após isso, pagar ao banco as parcelas referentes ao valor do contrato.

Cada banco tem o seu valor de parcelas e juros estabelecidos, é de grande utilidade fazer uma pesquisa de mercado para avaliar o menor no que diz respeito a taxas de juros.

Para conseguir um financiamento de moto como em todo e qualquer financiamento é necessário em mente que será mais um valor acrescido às despesas mensais logo, ser prudente para que não haja um não cumprimento no pagamento das parcelas.

É importante para ter o financiamento aprovado, ter um planejamento a longo prazo para que a sua análise, feita pela instituição financeira, seja aprovada. Se tiver como pagar uma quantia de entrada no momento do financiamento irá poupar diversas parcelas, isso diminuirá os juros.

Ao optar por um financiamento de moto, é importante além de todos os documentos pedidos pelo banco estar com o nome limpo, ou seja, o nome não estar a constar no Serviço de Proteção ao Crédito (SPC) ou Serasa.
Mas, também é possível adquirir a moto sem dar nada de entrada, essa opção vai depender apenas das condições da instituição financeira que foi escolhida.

Algo importante a ser comentado é que, ao contrário do consórcio de automóveis, se não tiver como pagar as parcelas e desistir, a instituição não irá devolver parte do valor pago, ou mesmo o total já investido.
Agora é escolher o modelo da sua moto, escolher a instituição financeira que se adeque ao seu perfil e fazer o financiamento que seja melhor para seu bolso.