Comercio para os produtos de turismo rural

--*--

Nos anos de 1990, o turismo rural passou pelas mais variadas discussões quanto à definição, ao conceito, à formatação do produto, de sua segmentação, dos benefícios sociais, ambientais etc., mas muito pouco se falou sobre sua comercialização, sobre a inteligência comercial desses produtos.

Conclui-se que esse assunto não despertava o devido interesse, tendo em vista que, até é pouco tempo, a oferta de produtos turísticos no espaço rural era bem inferior à demanda. Essa condição se modifica rapidamente, com uma constante ampliação e inovação da oferta.

Durante essas duas décadas de atividades profissionais no segmento turístico, tivemos a oportunidade de desenvolver e monitorar inúmeros empreendimentos turísticos nos espaços rural e natural, com a oferta das mais variadas atividades turísticas, criando um verdadeiro mix de produtos, o que proporcionou ao segmento uma clara revitalização do produto,gerada pela evolução da sua demanda. 

Essa evolução caracteriza-se, por um lado, pela relativa saturação e degradação que registram as zonas turísticas tradicionais (destinos saturados), por outro, pelo aumento do nível de vida das populações e, consequentemente, pelo aumento da possibilidade de ócio e realização de viagens.

Cada vez desfrutamos de mais períodos de descanso, com uma nova característica, a da fragmentação dos períodos, vários períodos de curta duração, o que proporciona uma maior diversidade no uso destes, surgindo assim uma demanda pelo ócio, que busca diferentes atividades esportivas, o desfrute da natureza ou simplesmente o descanso.

E nesse cenário que os produtos turísticos no espaço rural e natural têm um grande nicho de mercado. Essa realidade, no entanto, nem sempre foi assim, e não é possível precisar quanto tempo permanecerá dessa forma, mas sabe-se que é preciso aproveitar esse momento do mercado para criar uma oferta séria, profissional e autêntica, que não busque a rentabilidade em curto prazo, mas sim a criação de um mercado, formando uma base de clientes que garantirão uma vida longa ao turismo rural, cuja condição é indispensável para considerá-lo uma fonte de riqueza para o meio rural.

Para que o turismo no espaço rural e natural seja uma alternativa econômica para o produtor rural, e necessário que o empreendedor se conscientize de que o turismo rural deve seguir os princípios que regem o mundo empresarial, no qual a competência e a qualidade em serviços estão alinhadas ao uso de técnicas de marketing.

O marketing é, sem dúvida, a ferramenta que, embora seja muito pouco utilizada pelos empreendedores do turismo rural, permitirá alcançar os objetivos almejados por meio de uma adequada definição do produto, da organização dos canais de distribuição que melhor se adaptam ao mercado, além do estabelecimento de fluxos de comunicação entre os clientes e empreendimento. Em resumo, o foco é o de aproximar e vender o produto aos consumidores.